Para que serve o Marketing Digital nas marcas B2B?

Tenho encontrado muitas dúvidas em clientes no segmento B2B, sobre o que esperar de retorno em todo o Marketing Digital.

Os objectivos do Content Marketing (e das estratégias de Social Media em geral) para as marcas B2B passam em muito:

  • geração de leads
  • pelo Brand awareness
  • educar o mercado
  • e ainda promover a cultura da empresa lá fora para efeitos de captação/retenção de talento (esta acrescentei eu)

 

 

 

 

 

 

 

 

Contudo importa imprimir uma estratégia global entre os distintos canais em que a estratégia assenta, para que a percepção dos utilizadores à mesma marca nos diferentes canais resulte num todo coerente. Isto porque se observa em muitos clientes pequenas iniciativas isoladas em diferentes departamentos, experiências em diferentes canais (twitter, foursquare, facebook, etc).

Contudo não respeitam uma estratégia global em que coisas simples como tom de voz, horários das publicações, tipos de post (texto, texto+foto, apenas foto, etc) não são coerentes. Mas mais do que isso, denotam falta de conhecimento dos canais em que publicam, pois cada canal tem potencialidades distintas e públicos diferentes.

Porque é que isto me interessa?
Na minha equipa interessa-nos muito a questão: “As redes sociais estão aí, o que podemos tirar delas para benefício de clientes B2B?”. Trabalhamos com empresas que operam no segmento B2B e algumas em ambos (B2B e B2C) logo queremos prestar o melhor apoio possível no que toca à adopção de estratégias digitais.

A Microsoft compra a rede social Yammer

A Microsoft também quer estar presente nas Redes Sociais. De que forma? por aquisição. E decidiu adquirir uma que é especialista em redes sociais empresariais, já com 4 anos no mercado.

Segundo noticia do Público, a Microsoft comprou a Yammer, empresa que se dedica a desenvolver redes sociais corporativas que permitem a colaboração e partilha entre pessoas de uma mesma empresa.

Já era possível implementar o Yammer através de Sharepoint, agora passa também a fazer parte do pacote Office para soluções empresariais.

 

Links:
https://www.yammer.com/company/sharepoint

http://www.publico.pt/Tecnologia/microsoft-compra-empresa-de-redes-sociais-por-960-milhoes–1551955

Afinal que procuramos nos Social Media?

Recentemente dei com um artigo da eMarketeer que apresentava números sobre as principais motivações dos utilizadores ao fazerem like numa página de uma marca no Facebook nos EUA.

Os resultados são interessantes, pelo menos para mim, porque se analisarmos a conjuntura económica adversa conjugada com a avalanche de negócios online de compras em grupo, vemos que o comportamento online dos utilizadores das redes sociais está a mudar. O que eles procuram é:

  • 1) Ter dicas de outros clientes. (Para escolherem melhor na hora de comprar)
  • 2) possuir uma relação directa com a marca. (Para poderem ser atendidos de forma personalizada)
  • 3) querem estar associados publicamente à marca. (Porque têm orgulho nela)

Ou seja, aquela ideia estafada – e que servia de motor até há pouco tempo para o crescimento do número de fãs de uma página – que era o das marcas oferecerem descontos, prémios, etc aos seus seguidores, está a ficar “démodé”.

Toda esta conversa faz-me lembrar a página de Facebook em Portugal que tem tido o crescimento mais rápido de fãs (segundo dados do Social Bakers, têm tido 417 novos fãs por dia a adicionar aos mais de meio milhão no total), chama-se Descobrir Portugal, e desde que sou fã da página ela tem-me proporcionado diariamente – e várias vezes ao dia – pequenos momentos de prazer/sonho, de cada vez que publica fotos do nosso Portugal profundo, de uma aldeia perdida na serra da Estrela até à mais linda praia da Costa Vicentina.

O que ela proporciona aos seus fãs que passam os dias a trabalhar em escritórios fechados, é mostrar que existe um Portugal imenso de paisagens, pessoas, gastronomia e viagens para conhecer.

Afinal, ter bons conteúdos e ser atencioso com os fãs é cada vez mais a fórmula para ter uma legião de seguidores apaixonados.

Porque é que isto me interessa: Porque na equipa em que trabalho, somos defensores de Grandes Conteúdos e amamos grandes experiências digitais de marca, daquelas que nos marcam e nos fazem ir divulgar pelos nossos amigos.

Links:

Ser um guru…

​Ser um guru na web hoje em dia, não é fácil, mas com alguma dedicação chega-se lá. A fórmula está delineada!

Gosto do exemplo do Gary Vaynerchuk. Americano de New Jersey e filho de emigrantes da Europa de Leste, vive geograficamente longe dos grandes centros produtores de vinhos mais conhecidos, mesmo nos EUA, Napa Valley fica na outra costa. Mas o tipo gosta de vinhos, vá-se lá saber porquê!… 🙂

Nota-se pelo seu discurso que não é um expert, mas começou a fazer videos com provas de vinhos e a publicá-los na web, até que hoje em dia já nenhum produtor ou região demarcada que queira promover os seu vinhos, pode dar-se ao luxo de descartar o Gary na sua estratégia de vendas nos EUA 🙂

Este video é hilariante com o Gary a apresentar vinhos do Alentejo, dando às palavras em Português um sotaque espanhol! 🙂
http://tv.winelibrary.com/2009/05/19/alentejo-a-wine-region-in-portugal-episode-679/

Em conclusão: falem do vosso hobby favorito com paixão em frente a uma câmara, publiquem os videos com regularidade e vão tornar-se gurus de certeza 🙂

Gamification

Traduzam lá esta expressão para Português J

Bom, o termo gamification aplica-se à tendência de usar técnicas de jogos para aumentar os níveis de engagement e criar experiências mais ricas para os utilizadores. No fundo é uma tendência que se observa muito nas páginas de fãs no Facebook, com passatempos que retribuem a dedicação dos fãs nos meios digitais.

O Homem precisa ver retribuída a sua dedicação e ao mesmo tempo gosta de se divertir J

Reuni alguns links sobre o assunto aqui: http://www.delicious.com/brunojulio/gamification

Ah, já agora, Jogabilidade (como característica de algo que foi “Jogabilizado”) poderia ser a tradução!?

The Real Life Social Network

• Depois do Google Wave e do Google Buzz, agora é a vez do Google Plus. A Google tenta mais uma vez acabar com a hegemonia do facebook lançando mais uma rede social….

A propósito disso, esta apresentação tenta explicar como o Facebook e o uso da palavra “friend” está desadequada da realidade à nossa volta! cada um de nós tem diferentes grupos de amigos, com os quais quer partilhar diferentes conteúdos… e já agora! também não me interessa saber o que os outros almoçaram! :)…

http://www.slideshare.net/padday/the-real-life-social-network-v2?from=share_email

Anatomia de um Post de Facebook

• Antes de mais vamos aos quick facts:

1 – 3ª e 6ª feira são os melhores dias para postar no Facebook

2 – Os posts que recolhem maior percentagem de engagement são os que possuem uma foto, seguidos dos videos e dos textos

3 – A manhã (das 00:00 às 12:00) é a melhor altura do dia para obter engagement

É só isto que precisam saber para fazer mais “amigos”! ahahaha 🙂

http://go.vitrue.com/l/4162/2010-09-17/1PRC3

Facebook vs Google+

• Isto já parece um “Girls against Boys” 🙂 votem também na vossa rede social preferida :)… parece que os geeks adoram o Google Plus…

http://facebookplusgoogle.com/

Social Media for Business

Ikea no Facebook

A complexidade da Informação

• Ainda ontem à noite via o Manuel Lima do VisualComplexity.com no programa Câmara Clara na 2:, e hoje dou com este artigo na Fast Company sobre a Visualização de Informação. Ainda não me tinha dedicado a pensar uns minutos sobre essa necessidade urgente de ter mapas cada vez mais sofisticados e interactivos (de preferência) de sistemas complexos como são a blogosfera, as redes sociais como o Twitter, etc. Mas é uma necessidade óbvia, senão como se tratam essas quantidades enormes de dados!?

Isto lembra-me o software de Hans Rosling que era de uma eficácia brutal a mostrar a evolução da pobreza/riqueza em vários países e ao longo de décadas.

Também aqui passei o video da visão do futuro para a Microsoft, e ao olhar para aqueles interfaces, vejo que os designers de interfaces serão cada vez mais desafiados a desenharem sistemas cada vez mais complexos. Esses designs requerem uma altam funcionalidade e rapidez de leitura. A par destes estarão os Arquitectos de Informação será um trabalho cada vez mais exigente para ambos

Estou no Twitter, logo sou um Twot! :)

• Não podia deixar passar esta “febre” que grassa nos Social Media 🙂

http://twitter.com/brunojulio

As tais 6 ligações que nos separam…

• Já tinha escrito aqui antes sobre esta teoria social. Agora que ando por terras de Espanha (hoje em Oviedo) apanhei no site do El País este artigo que fala de um estudo da Microsoft feito no Messenger que prova que Eu e a Gwyneth Paltrow estamos separados, apenas, por 6,6 pessoas… 🙂

Danah Boyd sobre redes sociais

• Em Portugal a mais popular das redes sociais é o Hi5. Foi mesmo dos sites mais acedidos pelos internautas Portugueses nos 2 úlitmos anos.

A Danah Boyd é uma estudante de PHD na Universidade de Berkeley, e dedica-se a estudar o fenómeno das redes sociais entre os adolescentes norte-americanos. Os seus estudos incidem maioritariamente sobre as redes MySpace e Facebook, até porque as redes sociais mais populares divergem muito de país para país.

Agora a Discover Magazine fez uma entrevista à autora, com um video online que vale a pena ver/ouvir. Resumidamente fala-nos do seu objecto de estudo.

Só por curiosidade fui ver qual das 3 redes (Myspace, Facebook e Hi5) foi mais pesquisada no google em Portugal, só como tira-teimas. E, lá está, o Hi5 ganha destacado:

Já agora podem ver aqui outros posts anteriores em que falei desta autora

Mashups… do Flickr

• Epá! nunca pensei que fossem tantos! ;)… Já vão nas centenas os Mashups do Flickr listados no ProgrammableWeb